Steve Grimmett (Grim Reaper) – 04/06/18 – Exclusiva para o Maximus Music Channel

Steve Grimmett (Grim Reaper) – 04/06/18 – Exclusiva para o Maximus Music Channel

Perguntas por Isabele Miranda e Renata Pen
Foto: Instagram Oficial: @stevemgrimmett

Em passagem por São Paulo, Steve Grimmett esteve presente ao show dos colegas do Armored Saint, sentado em sua cadeira de rodas e assistindo atenciosamente à apresentação dos caras da Califórnia. Steve nos atendeu carinhosamente e nos concedeu esta entrevista exclusiva, feita pelo Instagram, dois dias depois de se apresentar no Mineiro Rock Bar, em Osasco. Ele nos contou sobre o começo de sua carreira, seus problemas de saúde e planos para voltar ao Brasil.

MMC: Você cresceu em um país onde o heavy metal é bastante expressivo. Como você enxerga isso?
Steve: É engraçado porque nunca vi desta maneira. Suponho que seja sim, bem expressivo, mas não vejo desta maneira. Eu não estava zangado sobre o mundo, então eu só tentava contar uma história.
MMC: Conte-nos um pouco sobre o começo da sua carreira.
Steve: Tudo começou quando uma namorada me ouviu cantar no meu quarto e duas semanas depois ela me arrumou um teste com uma banda local, mas fazer disso uma carreira não entrava na minha cabeça naquele momento. Eu só sabia que podia fazer.
MMC: O que mudou no mundo do metal desde seu começo?
Steve: Mudou bastante coisa. A gravadora costumava fazer grande parte do trabalho. Você tinha que pagar a gravadora e a arte da capa, e para ser sincero, é o mais custoso. Mas agora, graças à internet, podemos pesquisar as coisas do mundo todo.
MMC: Que tipos de música você costuma escutar em seu tempo livre? Quais são seus artistas favoritos?
Steve: Escuto coisas variadas, mas devo dizer que o motivo para eu cantar é por causa de Sir Elton John. Simplesmente amo tudo que ele fez, especialmente quando ele escrevia com Bernie Taupin. Eles são uma grande influencia na minha carreira. Então vieram Ronnie James Dio, David Coverdale e Rob Halford.
MMC: Em 2016, você passou por uma situação bem difícil em sua vida. Como tem sido sua vida desde então?
Steve: Sim, foi uma época muito difícil em minha vida, foi bem próximo da morte. Eu não sabia que estava tão ruim e com uma infecção pelo corpo. Tive que passar por três cirurgias: a primeira foi para eliminar a infecção do meu pé; a segunda foi para amputar minha perna abaixo do joelho, mas o corte necrosou e tiveram que amputar acima do joelho. E em todas essas operações, eu pude ouvi-los cortando os ossos, e tive que segurar as pontas.
MMC: Como vocês têm organizado seus shows e viagens? Está a mesma coisa?
Steve: Tudo permanece da mesma maneira, mas para fazer a América do Sul foi diferente: tive que mudar algumas coisas para facilitar a todos e agora pode ser que mude novamente, mas só saberemos quando formos excursionar de novo.
MMC: Qual shampoo você usa? Rs.
Steve: Eu uso Pantene. Ele funciona bem pra mim.
MMC: O que aconteceu no show em Osasco?
Steve: Estávamos nos preparando para entrar no palco quando nos disseram que o show não iria rolar porque havia quinhentos fãs do lado de dentro da casa e mais duzentos do lado de fora. A Polícia impediu o show e nos pediu três mil reais para liberar. Dissemos que não e tivemos que tocar no dia seguinte, em um horário mais cedo.
MMC: Muito obrigado pela atenção. Esperamos poder vê-los muito em breve.
Steve: Eu que agradeço muito pela entrevista. Voltaremos ano que vem e faremos outra entrevista, se vocês quiserem.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *