Patrice Guers: baixista do Rhapsody fala com exclusividade ao Maximus Music

Patrice Guers foi o antigo baixista da banda de metal sinfônica italiana Rhapsody of Fire. Ele se juntou à banda depois que Alessandro Lotta deixou a banda e tocou com eles até 2011, quando ele saiu da banda com o guitarrista Luca Turilli para formar o Luca Turilli’s Rhapsody. Depois de uma turnê Ásia no mês passado, Rhapsody retornará ao Brasil no dia 7 de janeiro em São Paulo, no Tom Brasil. Na sequência, a banda segue para 6 países da América Latina e depois segue para a Europa. Confira a entrevista com o baixista da banda!

1) Você tocou com Rhapsody of Fire de 2002 a 2011. Por que a decisão de deixar a banda naquele momento?
Após o final da saga Rhapsody of Fire o Luca decidiu criar uma nova banda, o Luca Turilli’s Rhapsody, e me perguntou se eu gostaria de estar com ele nesse projeto. Claro que foi uma honra seguir essa aventura com ele, que é um grande compositor, adoro o seu universo musical. Era realmente natural. Depois de tantos anos compondo para a mesma banda, posso entender totalmente a necessidade do Luca em entrar em novas aventuras musicais com total liberdade. Do mesmo modo, também é bom depois de alguns anos estar de volta às raízes com a Rhapsody Reunion.

2) Com tantos shows e longas tournées como você concilia as aulas de baixo?
Estou totalmente livre com aulas de baixo e masterclasses, posso planejá-los quando estou disponível e também dar lições de baixo no Skype. Então, não há problemas em estar em turnê. Tournées e shows são minha principal atividade nos últimos 25 anos. Eu adoro isso!

3) Na sua opinião, o que difere o público latino-americano de outros continentes?
O público latino-americano é simplesmente fantástico! Não é apenas um elogio, é a verdade! Quando estamos vindo aqui, eles estão nos seguindo do aeroporto para o show. Eu amo a atmosfera latina, o clima agradável, as pessoas rindo, dançando, ouvindo música … Descobrir a cultura latino-americana, caminhar pelas ruas, visitar os lugares e conhecer as pessoas é totalmente necessário para mim. Não se trata de apenas chegar aqui, tocar música e voltar para casa.

4) Quais são os planos após a turnê européia?
Com Rhapsody, absolutamente nada no momento.

5) O que você pode dizer sobre o Fabio Lione enquanto vocalista da banda brasileira Angra?
Fabio é um cantor fantástico, seja qual for a banda. Como artista, ele tem motivos para fazer o que quiser e gostar. Angra é uma ótima banda com grandes músicos. Pude ver que depois destes últimos anos tocando com bandas diferentes, o Fabio está melhor do que nunca. Eu tenho feito o mesmo como baixista, tocando diferentes estilos de música (do Blues ao Funk). Isso é muito interessante para trazer todas essas influências em cada nota que eu tocar. Toda nova experiência musical é importante para um músico que sempre procura se aperfeiçoar. Melhorar como artista nunca é demais.

6) A turnê de despedida do 20º  Anniversary Farewell Tour foi anunciada em novembro de 2016, reunindo os ex-membros do Rhapsody. Qual é a previsão para o final da turnê, consequentemente, quais os seus planos futuros?
Nada planejado com o Rhapsody após a turnê européia em março. Então vou fazer turnês com outras bandas, como estou fazendo há muitos anos. Ainda estou estudando música, viajando pelo mundo para aprender sobre ritmos africanos, cubanos, etc. Como músico, é realmente importante para mim tocar coisas diferentes para aprender sobre todos os lugares. Não significa que vou tocar linhas de salsa em musicas de Heavy Metal, é apenas uma maneira de construir o melhor groove possível e dar o melhor à música. É fantástico ver a relação com todos os estilos musicais do Blues ao Rock’n’roll e Heavy Metal… Às vezes, você sente o mesmo, com apenas uma mudança no som das guitarras, por exemplo.

7) Quais são suas expectativas para o show em São Paulo?
Apenas um show no Brasil nesta turnê, então esperamos muita loucura nesse show. Brasileiros, venham e fiquem loucos conosco pois esta é a última oportunidade de ver um show do Rhapsody. Vamos fazer nosso melhor!!

Por Isabele Miranda e Vivian Oliveira


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *